Espetáculo CineMusic – 2018

E chegou o grande dia! Dia 8 de dezembro de 2018, apresentamos o espetáculo CineMusic no Unicirco Marcos Frota.
O dia amanheceu frio e chovendo. Estávamos torcendo para não estar quente, porque na lona faz muito calor, principalmente com sol em cima e as luzes. Quando você sobe láaaa no alto, fica muito quente. Quanto mais perto da lona, mais quente. O tecido também fica bem quente e qualquer queda que arraste o tecido no corpo pode queimar feio.
Mas São Pedro resolveu mandar chuva, não precisava também, né! Era só não fazer aquele típico dia de verão do Rio de Janeiro , que a gente já estava feliz.
No dia anterior choveu muito, vários pontos alagados em volta do circo, goteira na lona, ficamos tensos… mas na hora da apresentação não choveu e deu tudo certo!!

Eu fico muito nervosa antes de começar. Quando tocam os 3 sinais, é pior ainda! Mas, por incrível que pareça, não fiquei tão nervosa no momento do número em si. Apesar disso, eu tive mini brancos durante as coreografias hahaha Aquele meio segundo que você esquece de fazer uma firula, não lembra a posição da mão, esquece de virar de frente pro público. Coisas que a gente não explica. Mas no geral, deu tudo certo, não tivemos nenhum grande erro. Todos se saíram muito bem!

No final, o discurso emocionado da Gisela, os agradecimentos aos que nos apoiaram e fotos, muitas fotos!! Não podia ser diferente: todos chorando (de alegria) e se abraçando no palco. Foi lindo <3

O espetáculo

O nosso espetáculo é independente. Todo organizado pela Gisela Portal, nossa professora. Nós alugamos um espaço, mandamos fazer os figurinos, criamos as coreografias, vendemos os ingressos, divulgamos, fazemos absolutamente TUDO. Fazer um espetáculo desse dá MUITO trabalho, mas no final, vale muito a pena. Nesse artigo eu vou contar um pouquinho de tudo que envolve o espetáculo e responder perguntas enviadas pelos seguidores no Instagram.

Nós escolhemos fazer um espetáculo com famosas trilhas sonoras do cinema. Cada número, uma música. Intercalamos os três aparelhos: tecido acrobático, lira e trapézio fixo. Os números tinham de 3 à 5 aparelhos/pessoas se apresentando. Alguns números tinham 3 tecidos, outros tinha um trapézio e duas liras ou um tecido e duas liras, duas liras duplas, 5 tecidos e por aí vai…

Entre um número e outro, era preciso trocar alguns aparelhos e com isso, realocar os colchões. Isso se chama contrarregragem. Para que o público não ficasse entendiado nesses intervalos e para que não prestasse atenção na contrarregragem e sim no espetáculo, nós criamos o que chamamos de “inter”. Eram números de 1 minuto e meio, criados especialmente para distrair a platéia, mas continuando no clima do cinema. Então, fizemos assim:


Abertura / Primeiro número: Missão impossível
Segundo número: Happy Potter
Inter: High School Musical
Terceiro número: Ariel
Inter: Mean Girls
Quarto número: Moulin Rouge
Inter: Pocachontas
Quinto número: The Greatest Showman
Inter: A Noviça Rebelde
— INTERVALO DE 15 MINUTOS —
Sexto número: As Panteras
Inter: Os Caça-Fantasmas
Sétimo número: O Fantasma da Ópera
Inter: Rocky
Oitavo número: O Rei Leão
Inter: Bonequinha de Luxo
Nono número: Frozen
Inter: Moana
Décimo número: James Bond
Inter: Ghost
Encerramento: Footloose

O que não pode faltar na mala do espetáculo?

Vamos fazer um checklist pra facilitar!

  • figurino
  • meia-calça e meia calça extra (se for usar)
  • silicone adesivo para seios (se for usar)
  • maquiagem
  • lixa de unha
  • breu
  • lenço umedecido (para limpar os pés)
  • chinelo (para não ficar andando descalço e sujar os pés)
  • garrafinha de água
  • lanche
  • prendedor de cabelo (elástico e grampos)
  • pasta modeladora de cabelo

Figurino

Esse ano, pela primeira vez, uma costureira fez meu figurino (meu e da maior parte da minha turma). Mas ela não é apenas uma costureira. Ela é figurinista, especialista em cosplay. Aline Alves é a responsável por grande parte dos figurinos do CineMusic e ela foi simplesmente impecável. Além do atendimento, que é excepcional. Criou tudo com muito cuidado, bem acabado, personalizado, tudo lindo e perfeito!! Recomendo o trabalho da Aline de olhos fechados.

Maquiagem e Cabelo

Este ano resolvi arriscar e fazer minha própria maquiagem para o espetáculo. Depois de assistir mil vídeos da Mari Saad no You Tube hahaha e de pegar dicas preciosas com a minha musa da make Ana Italiano (que se apresentou no espetáculo também), fiz testes de make em casa. Não ficaram ruins, mas também não ficaram maravilhosas. Mesmo assim, resolvi arriscar. E por algum milagre, naquele dia, eu acordei inspirada e fiz uma make muito boa! Colei até cílios postiços. Nunca tinha usado e estava morrendo de medo de descolar, cair, sei lá, me atrapalhar de alguma forma, mas ficou lindo e deu tudo certo!

Eu usei um pancake em creme nos olhos (pálpebra móvel e acima dos olhos). Coloquei bastante, pra ficar branco mesmo. Depois fiz esse desenho puxado para fora com uma sombra preta. Esse é o estilo de maquiagem básica de palco que a Gisela costuma fazer e eu quis fazer parecido. Fui puxando a sombra preta para o meio do olho e esfumando. Depois disso, colei o glitter. Colei os cílios postiços, fiz o delineado e usei também lápis preto na linha do olho. Depois, a Laís Patricia (que se apresentou comigo no CineMusic e também entende muito de maquiagem) usou iluminador.

Sempre pode ficar melhor, mas para a minha primeira maquiagem de palco, feita sozinha em casa, eu achei ótimo! Agora é continuar treinando e aprimorando. Fazer teste de maquiagem ajuda muito, eu recomendo.

E meu cabelo, que ficou lindooooooo, foi feito pela Ana Italiano. A Ana faz aula comigo e também se apresentou. Ela manda muito bem em maquiagem e cabelo. Aliás, ela tem muitas habilidades artísticas <3 
Ela se propôs a fazer o cabelo de algumas meninas e fez essa coisa maravilhosa aí. Repartiu meu cabelo de lado, fez aquela trança estilo boxeadora e depois um coque com a trança. Muitos grampos e muito spray de cabelo.

                                                                                 Meu cabelo pós espetáculo, feito pela Ana Italiano

Não dá tempo de trocar de make e cabelo entre um número e outro, por isso é bom fazer algo genérico, que sirva para qualquer figurino.

Alimentação

Como eu recebi pergunta de uma seguidora sobre energético (lá em baixo eu respondo as perguntas), resolvi falar sobre alimentação. O CineMusic aconteceu às 9h da manhã. Com isso, eu acordei as 5h. Quando acordo muito cedo, não consigo comer. Comprei um whey para tomar, mas acabei conseguindo comer uma banana e dois ovos mexidos antes de sair de casa. Ainda tomei uma garrafinha de whey e comi uma banana antes do espetáculo. Não é bom ficar com o estômago vazio, mas também não é bom ficar com ele cheio. Isso varia muito de pessoa para pessoa, então você precisa descobrir como o seu organismo funciona.

Depois do espetáculo, voltando pra casa, eu estava muito enjoada, depois fiquei com muita dor de cabeça. Almocei, o enjoo passou, mas a dor de cabeça não passou. Acho que junta fome, não comer direito, com nervoso e adrenalina, deve ter sido a hora que meu corpo relaxou e veio tudo. Precisei tomar remédio para passar e depois fiquei bem.

Agradecimentos

Quero agradecer do fundo do coração à Gisela Portal, por todo o seu empenho, por acreditar em nós e por fazer esse sonho se tornar realidade. Sem ela, nada disso seria possível.
Quero agradecer à minha turma, por toda dedicação ao nosso espetáculo e por, juntos, tornarem esse dia muito especial.
Ao Petter De Thuin (namorado da Gisela) e à Marcella Collares (cunhada da Gisela e do Petter), por toda a ajuda no CineMusic. A Marcella e o Petter são artistas profissionais de circo. Os dois são incrivelmente maravilhosos no que fazem (assim como a Gisela) e tiveram o carinho de nos ajudar. Petter fazendo a contrarregragem do espetáculo (que é ajudar a tirar e colocar os aparelhos, colchões e subir e descer o motor). A Marcella se disponibilizou a ficar na bilheteria do circo, vendendo os ingressos antes do espetáculo começar. Sem a ajuda de vocês, seria muito mais difícil. Muito obrigada, de coração, por vocês serem tão maravilhosos.
A Aline Alves, nossa figurinista, que criou nossos figurinos com muito carinho. Um trabalho impecável e muito cuidadoso.
Obrigada Ana Italiano por todas as dicas de make e paciência e por fazer esse meu cabelo maravilhoso.
Ao Márcio Rocha, marido da Laís Patrícia, por ter topado ser o nosso fantasma no inter, o melhoooor fantasma de todos os tempos, arrasou muito (no intervalo entre um número e outro é preciso trocar aparelhos e remanejar colchões e nós fizemos números de 1 minuto e meio para distrair a platéia. Eu, a Laís, a Lana e a Thalita fizemos o Caça Fantasmas e o Márcio aceitou usar uma coberta branca e fazer o nosso fantasma, foi sensacional).
A loja Dora Presentes, que nos apoiou comprando 50 ingressos que foram doados para crianças do projeto Levantando a Bola da instituição Argilando, poderem assistir ao espetáculo.
E a nossa platéia maravilhosa, todos que puderam nos assistir, muito obrigada por nos apoiarem. Aos que pagaram meia social (ou aos que doaram, mesmo não precisando), nosso muito obrigado. Arrecadamos mais de 230kg de alimentos para a creche Santa Clara!

Nossa turminha maravilhosa do CineMusic

 

Perguntas dos seguidores:

@rzuda: Quanto tempo antes do espetáculo começam a ensaiar?
Nós começamos a preparar o espetáculo 6 meses antes. Pensar no tema, escolher as músicas, escolher os grupos, as figuras e quedas, pensar no espetáculo num todo. Começamos ensaiando os truques individualmente e depois fazendo sequências. Até escolher as músicas, fechar o grupo definitivo, figurino, tudo isso demora. Sempre tem adaptações alterações… mas é exatamente por isso que começamos com antecedência.

@brunnernik: Onde você compra figurinos?
Depende! Eu já comprei “figurino” em loja de roupa normal. Usei uma vez um macacão azul holográfico da Forever 21 (que fez muito sucesso nas fotos do meu Instagram) na minha apresentação na MCCA e depois nas fotos do estúdio. Usei também na apresentação de 1 ano da TechBox Crossfit um body preto com brilho, que comprei na Garimpoo. Esses eu comprei prontos, mas foi pura sorte. É muito difícil encontrar uma roupa pronto em loja normal que sirva como figurino e seja confortável para praticar tecido (ou circo num geral). No espetáculo de 2017 da minha turma, usei um macacão vinho e costurei os brilhos. Esse é o primeiro ano que mando fazer figurino. Tanto o Rewrite the Stars quando o Frozen, foram feitos pela Aline Alves (clique no nome dela para ver o perfil do Instagram). Ela é figurinista, especialista em cosplay e faz figurinos LINDOS!!

@billynuness: Na hora de escolher figurino, escolhemos roupas que não usamos normalmente. Além de testar antes, algum tipo de roupa/figurino não é recomendado ou é proibido?
Acho que nada é proibido! É tudo questão de teste e descobrir o que funciona pra você. Já vi gente fazendo número de tecido/trapézio/lira com roupa larga e dá certo. Eu tenho nervoso, acho que vai enroscar, rasgar… não sei se eu conseguiria, mas também nunca testei. Acho que você deve testar e ver como se sai. O que eu acho que não é recomendado é usar uma roupa que não te deixa confortável e confiante no que você precisa fazer. Quando você está apresentando, você já tem muita coisa para se preocupar: sua coreografia, marcações na música, ponta de pé, mãozinha… se preocupar com mais uma coisa, que seria o figurino te incomodando, acho desnecessário. Então evitar uma roupa que não te deixe confortável para você fazer o seu número. De resto, nada é proibido, basta testar antes e se não estiver bom, muda!

@thais_schindler: No dia do espetáculo, você costuma tomar algum energético para não se cansar rápido?
Não costumo tomar energético não. Acho que tomei energético umas duas vezes na vida e não senti diferença. Uma coisa que ajuda a dar uma animação é pó de guaraná. Quando eu tomei, funcionou, mas não tomei para me apresentar. Recomento testar antes em algum treino ou ensaio, para ver como seu corpo reage. Cada pessoa rege de uma forma, algumas nem sentem efeito ou ficam com sono.

@llazarotte: Como lidar com ansiedade, pensamento positivo?
Geralmente eu só fico muito nervosa no dia do espetáculo. Eu fico um pouco nervosa nos ensaios, na hora de passar meu número. Dá aquela vontadezinha de fazer xixi, sabe? hahaha Mas logo passa. Nervoooosa mesmo, eu fico no dia, principalmente porque as duas vezes que participei de espetáculo de final de ano da turma, nos apresentamos no circo, que é MUITO mais alto do que o local onde treinamos. Esse ano, ainda usamos o motor. No Unicirco tem 10 metros de altura e dá MUITO nervoso olhar lá pra baixo. No ensaio geral (o único que tivemos no local da apresentação), meus pés tremiam na hora de subir no tecido.

Uma coisa que eu acho que ajuda muito é você estar confiante na sua coreografia. Tudo ensaiado e marcado. Eu tenho muito medo de esquecer alguma coisa no meio da coreografia (e já aconteceu. Na apresentação de 1 ano da Tech, eu esqueci uma figura! E olha que fui eu que fiz a coreografia hahaha Mas simplesmente apagou da minha mente. Só lembrei quando olhei pra Izabella – que estava fazendo comigo – e ela tinha entrado na figura e tava olhando pra mim com uma cara de “nãaao, você esqueceu o pegasus”. Ai eu desfiz o que estava fazendo e montei a figura). Então é você memorizar bem sua coreografia! Estar confiante de tudo que está fazendo. Se tem algo que não está dando muito certo, muda, adapta, substitui (se não tem tempo para treinar até sair bom).

Mas tenta se divertir. Pensa que você ensaiou tudo, que você não é profissional e está ali para se divertir com a sua turma. Respira, relaxa e vai!

@elisaseixas: Dicas de penteado
Isso também depende muito do tamanho do seu cabelo, número e do aparelho. Eu tendo a preferir cabelo preso (coque), principalmente quando eu faço algum truque onde meu cabelo possa ficar preso (x nas costas por exemplo, o rabo de cavalo sempre prende). Então acho que a questão do cabelo, assim como do figurino, é ser uma coisa a menos para você se preocupar.
Como meu cabelo é comprido e eu sei que prende, prefiro fazer coque. Eu procuro na internet ideias de coque e sempre peço pra alguém fazer, porque eu não tenho a menor habilidade com cabelo.

@raisuk: Quanto tempo levou a preparação do espetáculo?
Começamos a pensar no espetáculo no meio do ano. Nosso grupo do espetáculo no whatsapp foi criado dia 13 de agosto. Neste dia já estava definido todo mundo que iria participar, o local, o tema, algumas músicas e alguns grupos.

@vandeco_oficial: Como montar o seu primeiro espetáculo? Por onde começar, o que fazer?
Nosso espetáculo é independente, então fazemos tudo por nossa conta (mas na maioria das escolas, não funciona assim, é a escola que organiza tudo).
O que fazemos é: A Gisela (nossa professora) anuncia que vamos fazer o espetáculo de final de ano e vê quantos alunos vão querer realmente participar. A partir daí, com o número de pessoas, ela começa a separar os grupos, ver quantos números serão feitos, quais aparelhos, se alguém vai fazer mais de um número/aparelho, escolhe o local, o tema, as músicas e os figurinos. Tudo isso demora!!!
A primeira coisa, depois de definir as pessoas que vão participar, é definir a data e procurar um local para a apresentação.
Depois disso, é feito um contrato com o local e começamos a arrecadar dinheiro para pagar o aluguel do espaço (que geralmente é feito com venda dos ingressos).
E então começar a definir todo o resto do espetáculo em si.

@fe_dantas05: No dia do espetáculo, vocês chegam quantas horas antes?
Geralmente chegamos 2 horas antes. O tempo passa muito rápido. Você acha que 2 horas é muito tempo, mas quando você vê, já passou e você não conseguiu fazer nada. Se ainda for se maquiar, fazer cabelo… recomendo que chegue até antes. Não esqueça de aquecer e alongar.

 

Espero que tenham gostado e que eu tenha ajudado a tirar as dúvidas de vocês!
Beijão

 

 

Comments

comments

Você pode gostar...